terça-feira, 31 de agosto de 2010

Uma vida atrasada.


   Não dizem que o vento leva pedidos, segredos... dizem, não dizem?
   Eu não quero que ele leve nada disso, eu apenas quero que ele me leve para bem longe, muito longe desse mundo...
   Não aguento mais os olhares cortantes vindo em minha direção, meu coração já esta roxo de tanto receber pancadas, minha mente já esta confusa de tantos caminhos falsos, meus sentimentos ja estão onde o vento deveria estar me levando.
   Vento você já esta atrasado faz uma vida...

domingo, 29 de agosto de 2010

Criou uma ferida no vento...


   A me despreze então Helena, enquanto me declaro sobre os 3 dias que passamos juntos que pareciam 3 longos anos você apenas me diz que só foi uma aventura? Quer saber Helena foda-se... você me fez sentir algo que nem sabia que existia, aposto que isso aconteceu contigo, mas não quer falar por medo não é. Me diga! Seu coração não acelerou, suas pernas não tremeram, meus toques não te arrepiaram. Se mesmo assim a resposta for não, você não tem nem vento no lugar do coração. Te desprezo mesmo te amando Helena...

Revolta!


   Porque tudo que me causa revolta vem desse teu jeito insuportável de agir e de me envolver? Sinto uma vontade imensa de te xingar, mas prefiro não baixar o nível. Tem dias que queria mergulhar em seus olhos e em outros prefiro ficar onde estou, pois seu olhar me remete a algo sujo. Você me causa revolta. Quando você chega perto de mim, sinto a tua respiração quente em minha nuca, não sinto mais nada alem disso, alguém atrás de mim respirando... Por que de uns tempos pra cá ficou tão falso? Sei que você queria mudar, deixar de ser aquele menino ingenuo e virar um homem sem medo, mas isso ta fora de controle a revolta de dentro de você esta abalando o mundo aqui fora. Não dou um dia para que essa tua revolta te mate! Saiba que já matou o meu amor por você...

Algo para admirar ou para torturar?


     Devo admitir que quando o sol apareceu fiquei triste... tudo ficou claro e descobri quem eram as pessoas a minha volta. Você Helena sempre me surpreendendo, desculpa lhe dizer isso mas preferia só ouvir tua voz, conseguia sentir um certo apego por ela, mas agora vejo este teu rosto lindo e fico hipnotizado pela sua beleza e completamente surdo. Tu causas agora uma tremenda desordem nas coisas que vejo... olho para o copo e em alguns segundos vejo seu reflexo nele. Estou pirando por você, achava um doce tua voz agora com teu rosto, fico completamente perdido em teus olhos e retardado com tua voz...

sábado, 28 de agosto de 2010

Carta sem endereço...

    Helena você me mata de angustia... de desespero. Quando tu irá voltar com o meu coração? Eu lhe entreguei o que havia de mais precioso e depois fugiu, só queria saber pra onde foi, para onde levou consigo toda a minha esperança a minha felicidade e meu amor, mas saiba que deixou as lembranças caídas em minha volta, e elas não me soltam. Onde esta você Helena? Onde esta o meu amor Helena?

Gritos que se escondem!


    
As minhas lagrimas são meus gritos escondidos... só não me pergunte o por que, apenas gosto de chorar e saber que nem tudo esta certo, pois a certeza me deixa com mais duvidas, a certeza me parece ilusória, assim como a tua expressão ao me ver, não acredito nela assim como não acredito em fadas, apesar de fadas parecerem mais reais que você e seu sentimento que tu julgas estar dentro de ti. A me poupe de tanta falsidade, me poupe de ter uma felicidade promiscua ao teu lado, a mistura dos sentimentos maus e ilusórios não causam desordem ao teu lado, mas causam duvidas e o medo de errar, mas bem... siga o teu caminho e não entre nas esquinas em que entrei e lhe encontrei.