sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Guardada entre páginas.

   Tentei me afundar em seus olhos, arrancar o medo deles. Anda tão distante, sombria, estou começando a achar que não gosta mais de mim, e isso dói, você não sabe o quanto, mas me conformo.
   Já se passou metade do dia, e você continua calada, pensativa. Sabe o que já passou pela minha cabeça? Inúmeras coisas horríveis. Superamos todas as dificuldades, fazendo nosso amor quebrar as barreiras do preconceito, mas acho que isso nos desgastou. 
   No minuto em que te vi se levantando daquele sofá e indo pro quarto, saindo de la com uma mala e uma lagrima escorrendo sobre seu rosto, não tive mais duvidas deque era o fim, você não precisou dizer que ia me deixar, eu sempre soube que nunca foi amor de verdade. 
   Eu não chorei por causa disso até hoje, e nem vou chorar, pois não é tua culpa, a pressão para que nós duas terminássemos era grande, nossas famílias nunca aceitaram, e isso também nunca foi amor, só uma paixão, que passou e felizmente não deixou feridas.
   Agora me encontro na beira do mar com outra companhia, mas minhas lagrimas ainda estão guardadas pra você, em nome de uma futura amizade, sei que um dia vamos nos encontrar novamente. Em nosso livro ainda há muitas páginas em branco para serem escritas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário