domingo, 8 de maio de 2011

Prelúdio

   O café derramado sobre a mesa, sujando o chão. O tic tac do relógio, e a navalha fina do tempo passando pelo meu rosto, deixando marcas. O vai e vem do vento, mudando a temperatura.
   E eu? Eu... simplesmente ia brincando com a vida e fazendo das pessoas as peças do meu tabuleiro de xadrez, onde o jogo era real e impiedoso. 
   Ultimamente ando sob dias chuvosos, onde os meus olhos só miram a escuridão. Dou passos firmes mas algo dentro de mim diz que vou tropeçar mesmo sabendo desviar de obstáculos, meus pés não doem, assim como a minha consciência.
   Gravei em meu peito a sua voz, pois é unica coisa que eu ainda tenho guardada em mim que me remete a algo bom, e eu escuto ela quando sinto o meu coração parar de bater por instantes, ela me faz retomar a vida, era realmente uma noite linda quando você partiu.
   Era mais um dia, quando resolvi que ia acordar, iria dar mais uma chance aquela manhã. Fui para o banheiro e passei um corretivo nas minhas olheiras que mais pareciam dois buracos negros. Sei que no fim, não havia o por que daquele jogo, não havia o por que de usar as pessoas para tentar encontrar você, e no final perceber que quando você me disse adeus te ter de novo não ia mais me satisfazer, você foi um vício.
    As vezes eu me pergunto a onde eu quero chegar... até o fim da estrada, onde as lembranças se transformam em memórias vagas, onde as minhas mentiras se transformem em verdade, onde eu encontre um rio de palavras que me faltaram.
   Parei, sentei entre a neblina onde a fumaça do meu cigarro ia se escondendo, olhei para o meu all star sujo de barro, sujo de vida. 

6 comentários:

  1. Ola passei pelo seu blog e não pude deixar de ler esse post, gostei muito, realmente um texto lindo! Vou passar por aqui mais vezes. http://guuilhermet.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. É atenuante, como o conforto do que passou.
    Como se cada palavra fosse um registro de uma experiência. É franco, visceral, um monólogo didático.

    Você consegue conversar através desse texto...
    E isso é, simplesmente, agradável.

    ResponderExcluir
  3. "Como se cada palavra fosse um registro de uma experiência."
    e é, o registro de uma experiência que aconteceu na minha mente um pouco perturbada, que me faz sentir tudo o que minha personagem sentiu.
    Obrigada, gosto muito dos seus textos.

    ResponderExcluir
  4. São sentimentos bem profundos. É um caminho que muita gente faz, é simples se identificar, embora não ache tão simples descrever.

    ResponderExcluir