sábado, 16 de julho de 2011

Apenas amei...

   Tudo o que um dia eu senti por você, esta saindo no meu suor, pelos meus poros. O maior erro da minha vida não foi te amar, mas foi deixar você se transformar na minha razão, sem limites. 
  Estou sentada no chão pegando destroços do eu que havia me tornado, incompleta, incompreendida, quebrada sem mais nem uma utilidade. Eram pedaços de vidros gelados com pontas que machucavam os meus dedos. 
   Senti na pele os efeitos colaterais de amar você que não existe mais na minha realidade, mas algo no meu peito sempre vai ficar, não um aperto, nem angustia, muito menos saudade. O que vai ficar é um lugar para guardar suas lembranças boas, e a esperança de poder vive-las novamente com um outro alguém que eu não cometa o erro de amar intensamente.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário