sábado, 20 de agosto de 2011

Yeah!

   É, finalmente estou limpo, eu acho. Antes fiz um tremendo estrago na minha vida, mas eu limpei tudo e deixei as sacolas de lixo la fora para quando o caminhão de lixo passar, recolher, todo o meu passado. Quando eu limpava tudo era como enfrentar de novo meus tormentos, em 5 rounds. 
   1º Round: conhecer uma pessoa fantástica e cometer o erro de se apaixonar perdidamente. 
   2º Round: dar continuidade ao que provavelmente vai acabar em morte da sua alto estima e sua felicidade. 
   3º Round: perceber que a garota não passou de uma droga alucinógena, e que ela não é nada daquilo que te contou. 
   4º Round: desilusão, baby.
   5º Round: limpar a sujeira!
   A claro, como posso me esquecer. Nem tudo é uma batalha, nem tudo se vence na força bruta, tinha até me esquecido dos meus antigos modos de insultar, magoar, machucar, despedaçar, massacrar... assim vai, com as palavras. Porque um soco não vai doer tanto quanto as palavras que atingem diretamente o seu coração mais rápido que a bala de uma arma. Cuide-se, ou melhor, tome cuidado, as palavras de hoje podem definir o amanhã de alguém. Jamais diga "Eu te amo!" sem ter certeza. 
   Agora tenho que seguir em frente, e posso dizer que olhar para traz não me faz querer voltar, só me incentiva mais e mais a continuar andando para frente.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Miragens

   Minha vida esta como um deserto escaldante, cheia de areia, cheia de coisas inúteis que deveria ter jogado fora a muito tempo. 
   O fato de estar sozinha, me enlouquece aos poucos, me angustia. Saber que mesmo rodeada de pessoas nem uma delas realmente liga para meus sentimentos e passam por cima deles com fosse um tapete escrito "limpe os pés aqui!", é...
   Controlo a minha sede de vida, de amor, carinho, felicidade. Vejo miragens, mas não vejo fatos, atos. Virei brinquedo dos meus sentimentos, é muitos para um só corpo, e eles lutam aqui dentro, lutam para matar, me matar. 
   Espero anoitecer pra ir dormir, na cama fria ao lado da janela, que nunca se abre. A lua ressalta entre as estrelas e a escuridão do céu, ela parecia me olhar e reprovar a minha falta de coragem. Ela parecia querer me ajudar, sabendo que nada poderia fazer.
   Entrei em um deserto e fiquei perdida, disseram que eu só preciso de mim mesma para ser feliz. Diga-me se agora a areia não parece muito mais viva do que eu!