quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Miragens

   Minha vida esta como um deserto escaldante, cheia de areia, cheia de coisas inúteis que deveria ter jogado fora a muito tempo. 
   O fato de estar sozinha, me enlouquece aos poucos, me angustia. Saber que mesmo rodeada de pessoas nem uma delas realmente liga para meus sentimentos e passam por cima deles com fosse um tapete escrito "limpe os pés aqui!", é...
   Controlo a minha sede de vida, de amor, carinho, felicidade. Vejo miragens, mas não vejo fatos, atos. Virei brinquedo dos meus sentimentos, é muitos para um só corpo, e eles lutam aqui dentro, lutam para matar, me matar. 
   Espero anoitecer pra ir dormir, na cama fria ao lado da janela, que nunca se abre. A lua ressalta entre as estrelas e a escuridão do céu, ela parecia me olhar e reprovar a minha falta de coragem. Ela parecia querer me ajudar, sabendo que nada poderia fazer.
   Entrei em um deserto e fiquei perdida, disseram que eu só preciso de mim mesma para ser feliz. Diga-me se agora a areia não parece muito mais viva do que eu!

2 comentários:

  1. Tenho que dizer que vi a mim mesmo no texto, tanto em sentimento quanto em cenário. parabéns, gostei do blog, ansioso por mais textos ~-~//

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Marcos.
    Também gostei do seu blog :)

    ResponderExcluir